Divã: o peso de ser mulher

Olá, mulheres lindas! Vocês se sentem lindas? Eu me sinto, mas nem sempre. Tenho aqueles dias que me sinto feia e que nada fica bom em mim. Será que isso é normal de mulher? Somos complicadas, né?!

Bom, como está chegando o nosso dia, o Dia Internacional da Mulher, decidi ir para o divã do Temperos e Desesperos para compartilhar com vocês um dos meus grandes desesperos que me segue a vida inteira e o que tenho aprendido nos meus quase 30 anos para viver bem com a pessoa que é a responsável por eu ser feliz ou não: EU!

mulher

Vocês sabem qual é o meu desespero? Está lá no título, peso! Kkkkk

Nasci com menos de 9 meses, era magrinha…mas rapidinho minha mãe cuidou para eu me tornar uma criança beeeem forte (ou gorda)! hehe

Renatinha nenem

Acho lindo neném gordinho, cheio de preguinhas como eu era…só tenho dó de quem me carregava…haja braço! Adoro neném fofinho, mas quando isso se prolonga para a infância e adolescência pode se tornar um problema. Deveríamos pensar em problema de saúde, né?! Mas infelizmente não é simples assim. Uma criança pode ser gorda e saudável, sem colesterol alto, triglicérides, tudo certo fisicamente, mas mentalmente, tudo errado. Somos bombardeadas o tempo inteiro, na televisão, nas novelas, nos comerciais, na moda, com mulheres magras, sem celulite, sem estrias. E até quando essas famosas, por acaso, são fotografadas na praia e um parapazzi registra um pneuzinho ou algumas celulites, vem a mídia e massacra essas lindas mulheres como se elas tivessem que ter uma perfeição que não existe! E nesse mundo louco, como ficam as cabeças das mulheres, das adolescentes, querendo fazer parte, serem aceitas pela sociedade? Comigo aconteceu algo muito comum para essa ditadura da beleza. Aos 12, 13 anos, tive anorexia e foi a única vez na vida que entrei em uma calça 36, tinha pernas fininhas, braço magro. Fiquei magra, como no padrão, mas muito feia, parecia doente e só percebi isso quando vi uma foto minha daquele jeito porque no espelho eu não me enxergava daquela forma. Para piorar minha situação, ainda usava aparelho fixo, ou seja, só via boca.

Renata magra

Eu simplesmente fui parando de comer, não tinha fome, não conseguia comer um bife inteiro no almoço e fui emagrecendo, mas não me achava magra. Só melhorei porque a minha mãe percebeu e me levou a um endocrinologista, comecei a tomar vitamina porque fiquei fraca e aos poucos engordei. Hoje estou aí na luta de novo! Kkkkkk

Sou uma eterna sanfona. Meu sonho era ser magra de ruim, poder comer sem engordar. Mas como não tive essa sorte tenho que me cuidar, fechar a boca. Vocês já perceberam que a indústria ganha milhões com produtos e tratamentos para emagrecer e, por mais que estamos com uma onda de pessoas saudáveis, dieta sem glúten, detox pra lá, dukan pra cá, os sucos naturais, alimentos saudáveis são sempre beeeeem mais caros que aquela apetitosa coxinha de catupiry e a Coca-Cola gelada? É muita maldade, né?! Acho que querem que a gente coma todas essas porcarias gostosas para ficarmos gordas e gastar muito dinheiro com tratamentos de estética, remédios, academia para perder as pestinhas das calorias. Aff!

Eu tenho cabeça de gorda, falo que a minha sorte é que o meu estômago é bem menor que o meu olho. Hoje o que eu faço é tentar comer pouco, não comprar delícias calóricas e troquei o biscoito recheado pelo integral. Quando tem chocolate em casa, guardo no alto do armário porque aí tenho que pegar uma escada e isso já me dá preguiça e faz pensar se realmente tenho que comer. Tem dado certo, tenho conseguido resistir, só ataco na TPM, aí já é pedir demais… No final de semana, não deixo de comer coisinhas gostosas, pão de queijo, massa…o negócio é tentar não exagerar. E quando exagero, me afogo no chá de hibisco (consciência pesada) … kkkkkk

Acredito que as pessoas precisam fazer escolhas para serem felizes. Eu nunca vou ser modelo, não tenho tamanho, nem corpo para isso, então tenho que lembrar disso o tempo inteiro e não ficar me martirizando. Nunca vou ter o corpo tão falado da Paola Oliveira ou da Bruna Marquezine, nem de nenhuma modelo, cantora ou atriz famosa. Até porque elas vivem de expor a figura, precisam estar dentro do padrão cruel, senão estão fora. E, para isso, elas fazem escolhas como deixar de comer várias coisas gostosas, malhar intensamente, algo fora da minha realidade (beijinho no ombro pra mim…kkkk). Tenho que saber quem eu sou e não me comparar com ninguém, senão eu piro…aí que entra o padrão inatingível de beleza. Recentemente, li um livro sensacional do Augusto Cury, que acho que deveria ser leitura obrigatória para todas as mulheres: “A ditadura da beleza e a revolução das mulheres”.

Deixo para vocês refletirem em algumas passagens do livro:

“Cada mulher é linda ao seu modo, tem seu jeito especial de ser, sua anatomia própria, e de se amar, se contemplar e curtir intensamente a vida. Deve se olhar no espelho sem medo, não se rejeitar, mas admirar sua beleza e força interior. Pois sentir-se bela é um estado de espírito, um treinamento da emoção, um exercício intelectual e afetivo dos olhos de quem observa”.

“A pior ditadura é aquela que nos controla por dentro, que distorce nossa crítica e a percepção da realidade. As mulheres, e também milhões de homens, vivem debaixo de uma ditadura interior e de uma democracia política exterior. O objetivo da ditadura da beleza é promover inconscientemente a insatisfação, e não a satisfação. Pois uma pessoa satisfeita, bem-humorada, feliz, tranquila, não é consumista, consume de maneira inteligente, não precisa viver a paranoia de trocar continuamente de celular, carro, roupas, sapatos. Todavia, pessoas insatisfeitas projetam sua insatisfação no ter. Consomem cada vez mais, porém sentem cada vez menos”.

“As imagens das modelos vendendo produtos penetram no subconsciente e geram consequências mais sérias e sutis do que as mensagens subliminares. Quando as mulheres pegam uma revista e veem que seu corpo não é igual à foto da modelo da capa e das páginas de toda a revista, fica com aquilo em seu inconsciente e com uma imagem doentia e distorcida do belo. Depois de se exporem a milhares de outras imagens de pessoas com beleza incomum, advindas da televisão, do cinema e comerciais, forma-se um padrão doentio no inconsciente. Esse padrão torna-se uma zona de conflito que controla a emoção, gera ansiedade, insatisfação, contração da autoestima, preocupação excessiva com a própria imagem, rejeição por alguma área do corpo. Todos esses são sintomas do padrão inatingível de beleza”.

“Mulheres e homens precisam ter a convicção de que não existe beleza perfeita. Não deveria existir um padrão, pois cada beleza é exclusiva, como uma obra de arte. (…)A sabedoria não consiste em ser perfeito, mas em saber que não somos e ter habilidade de usar nossas imperfeições para compreender as limitações da vida e amadurecer”.

E aí? O que acham disso tudo? O peso chega a ser um #desespero na vida de vocês? Acho que o importante é tentar identificar o que te deixa feliz, como você se sente bem. Eu confesso que não me sinto bem gorda, fico morrendo de raiva quando uma roupa começa a apertar, então tenho que me cuidar, fazer algo para ficar do jeito que me sinto bem, lembrando que se comer também me faz feliz e se não sou uma viciada em academia, não adianta querer ser a sarada… Vou continuar comendo uma coxinha que eu amo de vez em quando, comer alimentos sem glúten, tomar chá de hibisco, sucos detox, chocolate para deixar a vida doce…rs. O negócio é se sentir bem, leve com você mesma, mesmo que não entre nunca mais em uma calça 36.  E como diz o livro, cada beleza é exclusiva, como uma obra de arte, então nada de ficarmos nos comparando e querendo o corpo de modelos, de pessoas que tem um biotipo e um estilo de vida bem diferente do nosso. Vamos ser felizes, mulherada! Aceitam um picolé? hehe

Renatinha tomando sorvete

Falei demais por hoje…quero desejar um feliz dia da mulher e lembrar que vocês são lindas e precisam descobrir e deixar cada vez mais à mostra esse encanto, a magia de ser mulher! E diga-se de passagem ser mulher têm muitas atribuições e pressões, né?! Mas não vou render, porque isso já é assunto para outro divã…hehe

Bjos, Renatinha. ❤

Anúncios

Um pensamento sobre “Divã: o peso de ser mulher

Deixe aqui seu tempero (ou desespero).

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s